H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Central de Atendimento (11) 3050-3333 - Paulista / (11) 4126-6464 - ABC
H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Início » PALESTRA GRATUITA – Diabetes é uma doença que pode causar cegueira

PALESTRA GRATUITA – Diabetes é uma doença que pode causar cegueira

A A
8 de novembro de 2019

Se você tem ou conhece alguém que tem diabetes, fique atento, pois esta doença pode cegar! Para tirar suas dúvidas sobre a doença e como ela pode afetar a visão, teremos uma palestra gratuita no dia 30/11 às 09h, no H.Olhos Paulista (Rua Abílio Soares, 218 – Paraíso - SP. Próximo à estação Paraíso do Metrô).

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO:

 9:00 - Café

9:30 - Apresentação do Instituto Verter - Gestor Rodrigo G. Viana

9:40 – Tema: Diabetes é uma doença que pode causar cegueira. Palestrante: Dr. Ramon Antunes.

10:20 - Perguntas e respostas

11:00 – Exame de Fundo de olho gratuito para quem tiver interesse.

Local: Anfiteatro H.Olhos Paulista (Rua Abílio Soares, 218 – Paraíso - SP. Próximo à estação Paraíso do Metrô).

As vagas são limitadas e as inscrições podem ser realizadas gratuitamente, pelo link: https://bit.ly/2X0qvsq 

 


O QUE É DIABETES?

Diabetes é uma doença causada pela falta ou má absorção de insulina, hormônio que promove o aproveitamento da glicose como energia para o nosso corpo.

Diabetes mellitus é uma doença do metabolismo da glicose causada pela falta ou má absorção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas e cuja função é quebrar as moléculas de glicose para transformá-las em energia, a fim de que seja aproveitada por todas as células. A ausência total ou parcial desse hormônio interfere não só na queima do açúcar como na sua transformação em outras substâncias (proteínas, músculos e gordura).

Na verdade, não se trata de uma doença única, mas de um conjunto de doenças com uma característica em comum: aumento da concentração de glicose no sangue provocado por duas diferentes situações:

Diabetes tipo 1: O pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina. A instalação da doença ocorre mais na infância e adolescência e é insulinodependente, isto é, exige a aplicação de injeções diárias de insulina.

Diabetes tipo 2: As células são resistentes à ação da insulina. A incidência da doença que pode não ser insulinodependente, em geral, acomete as pessoas depois dos 40 anos de idade;

Diabetes gestacional: Ocorre durante a gravidez e, na maior parte dos casos, é provocado pelo aumento excessivo de peso da mãe;

Diabetes associados a outras patologias como as pancreatites alcoólicas, uso de certos medicamentos etc.


SINTOMAS

Poliúria – a pessoa urina demais e, como isso a desidrata, sente muita sede (polidpsia);

Aumento do apetite;

Alterações visuais;

Impotência sexual;

Infecções fúngicas na pele e nas unhas;

Feridas, especialmente nos membros inferiores, que demoram a cicatrizar;

Neuropatias diabéticas provocada pelo comprometimento das terminações nervosas;

Distúrbios cardíacos e renais.


FATORES DE RISCO

Obesidade (inclusive a obesidade infantil);

Hereditariedade;

Falta de atividade física regular;

Hipertensão;

Níveis altos de colesterol e triglicérides;

Medicamentos, como os à base de cortisona;

Idade acima dos 40 anos (para o diabetes tipo 2);

Estresse emocional.


TRATAMENTO

O diabetes não pode ser dissociado de outras doenças glandulares. Além da obesidade, outros distúrbios metabólicos (excesso de cortisona, do hormônio do crescimento ou maior produção de adrenalina pelas adrenais) podem estar associados ao diabetes.

O tipo 1 é também chamado de insulinodependente, porque exige o uso de insulina por via injetável para suprir o organismo desse hormônio que deixou de ser produzido pelo pâncreas. A suspensão da medicação pode provocar a cetoacidose diabética, distúrbio metabólico que pode colocar a vida em risco.

O tipo 2 não depende da aplicação de insulina e pode ser controlado por medicamentos ministrados por via oral. A doença descompensada pode levar ao coma hiperosmolar, uma complicação grave que pode ser fatal.

Dieta alimentar equilibrada é fundamental para o controle do diabetes. A orientação de um nutricionista e o acompanhamento de psicólogos e psiquiatras podem ajudar muito a reduzir o peso e, como consequência, cria a possibilidade de usar doses menores de remédios.

Atividade física é de extrema importância para reduzir o nível da glicose nos dois tipos de diabetes.


O QUE É RETINOPATIA DIABÉTICA?

Retinopatia diabética é uma doença ocular caracterizada pela manifestação do diabetes nos vasos sanguíneos da retina. Quanto mais tempo de diabetes, maior a chance de ter a retinopatia. A doença pode ser detectada precocemente nos pacientes que fazem exame da retina regularmente (fundo de olho e mapeamento de retina) e, tratada adequadamente quando diagnosticada, com isso o paciente pode conviver bem com a doença.

 


Fonte: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/diabetes/



H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista Voltar

Newsletter

Receba notícias e dicas sobre o H.Olhos em seu e-mail!