H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Central de Atendimento (11) 3050-3333 - Paulista / (11) 4126-6464 - ABC
H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Início » Conheça as causas do descolamento de retina

Conheça as causas do descolamento de retina

A A
18 de dezembro de 2014

Estudos revelam que, aproximadamente, 0,3% da população brasileira sofrem com o descolamento de retina sendo, em sua maioria, idosos, diabéticos e crianças prematuras.

O problema é desencadeado pelo descolamento do vítreo posterior, que pode causar uma ruptura na retina. Por meio dessa ruptura, fluidos intraoculares podem infiltrar a retina, separando-a da parede posterior do olho. Durante o processo, é comum o sangramento de pequenos vasos sanguíneos, causando uma turvação no gel vítreo. “Se a mácula, parte da retina responsável pela precisão na visão, for descolada, pode haver uma sequela na visão central”, explica o oftalmologista e especialista em Retina do H. Olhos, Dr. Renato Passos.

O descolamento de retina pode ser consequência de traumas, diabetes, distúrbios inflamatórios, ou simplesmente não aparentar uma causa subjacente, na maioria dos casos. Pacientes com miopia também estão mais propensos a adquirir o problema.

Alguns sintomas são característicos da doença, como flashes brilhantes de luz, visão distorcida, manchas flutuantes na visão, semelhantes a pequenas moscas, sombra ou cegueira em uma parte do campo visual de um olho. “Ao perceber esses incômodos, recomenda-se procurar um especialista imediatamente para iniciar uma bateria de exames que inclui a medida de acuidade visual, lâmpada de fenda, mapeamento de retina e ultrassom”, diz o especialista.

A reversão do descolamento de retina é feito, em sua maioria, com cirurgia. Entre os procedimentos estão: retinopexia com introflexão escleral, onde é amarrada no olho uma cinta de silicone para ajudar a vedar as rupturas, criopexia (sonda de gelo) ou fotocoagulação a laser para auxiliar na cicatrização e que fixa a retina na camada subjacente, a retinopexia pneumática, onde bolhas de gás são inseridas no olho para ajudar a retina a flutuar de volta ao seu lugar.

Na impossibilidade desses procedimentos pode ser necessária uma vitrectomia, onde o gel vítreo é removido do olho por meio de micro-cânulas e sondas de aspiração.



H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista Voltar

Newsletter

Receba notícias e dicas sobre o H.Olhos em seu e-mail!