H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Central de Atendimento (11) 3050-3333 - Paulista / (11) 4126-6666 - ABC
H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Início » Atenção nas curvas!

Atenção nas curvas!

A A
5 de junho de 2020

Saiba mais sobre o ceratocone, a doença que altera a curvatura das córneas, mas que pode ser controlada.

 

Todo mundo já ouviu falar em outubro rosa, ou em novembro azul, certo? Mas pouca gente conhece o junho violeta, que além de combater o hábito de esfregar os olhos, visa conscientizar sobre os riscos e sintomas do ceratocone.

O nome pode parecer estranho, mas o ceratocone é mais comum do que muita gente pensa. De acordo com a National Keratoconus Foundation americana, essa patologia afeta uma em cada duas mil pessoas pelo mundo.

Principal causa de transplante de córneas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, o ceratocone é uma doença progressiva e degenerativa que afeta a curvatura da córnea, dando a ela o formato de um cone. E essa deformação acaba tornando a visão embaçada, borrada, além de deixar os olhos mais sensíveis à luz.

O ceratocone pode ser genético em alguns casos, mas a causa é geralmente desconhecida. A doença pode atingir os dois olhos de maneiras diferentes e os primeiros sintomas aparecem logo na adolescência, podendo progredir até os 40 anos, quando normalmente a doença se estabiliza.

Um detalhe curioso é que o hábito de coçar os olhos pode agravar a doença. Por isso, é muito importante evitar ao máximo esfregar os olhos e tratar adequadamente as causas da coceira, como a rinite alérgica ou alguns tipos de alergia dermatológica. Além disso, quem usa lentes de contato deve estar sempre atento às condições de higiene.

Embora não exista cura para o ceratocone, a qualidade de vida do paciente pode melhorar muito com o tratamento correto.


Crosslinking

Este método cirúrgico é a única forma de tratamento que vem se mostrando capaz de frear a evolução do ceratocone. Usando um colírio de riboflavina (Vitamina B2), ativado por um feixe de radiação ultravioleta, o crosslinking consegue fortalecer as fibras de colágeno que sustentam a córnea, aumentando sua rigidez. Com isso, a elasticidade da córnea diminui, reduzindo a chance de deformação.

A técnica é indicada principalmente nos casos iniciais da doença, embora os últimos estudos também venham mostrando benefícios em pacientes com estágios mais avançados de ceratocone.

O procedimento não dói e dura cerca de uma hora. A anestesia é feita apenas com o uso de um colírio anestésico, sem necessidade de internação.


Implante de Anel Corneano

Também chamado de Anel Intraestromal ou Anel de Ferrara, este objeto é implantado para remodelar a córnea, devolvendo sua forma mais arredondada.

Usando um laser de femtosegundo, de altíssima precisão, o cirurgião cria um túnel no interior da córnea, por onde o anel será implantado. Uma vez dentro da córnea, o anel gentilmente empurra sua base para fora, baixando seu centro e deixando seu formato arredondado outra vez.

O procedimento dura, em média, 30 minutos, e o paciente já percebe a melhora na visão logo nos primeiros dias.


Óculos ou lentes de contato

Os óculos podem ser indicados para pacientes com ceratocone, principalmente quando a doença está no início. Neste caso, o oftalmologista define o grau correto para compensar a curvatura gerada na córnea, devolvendo uma visão mais nítida ao paciente.

As lentes de contato rígidas gás-permeáveis também apresentam bons resultados. Quando elas se apoiam na superfície irregular da córnea afetada, os espaços são preenchidos pelas lágrimas. Isso torna o conjunto entre a córnea e a lente mais regular, facilitando a convergência das imagens em um único ponto da retina.

O mesmo não ocorre com as lentes gelatinosas comuns, já que estas acompanham as irregularidades da córnea afetada. No entanto, já existem modelos especiais que vêm oferecendo resultados bastante satisfatórios a pacientes que não se adaptam às lentes rígidas.


Transplante de córnea

Esta opção deve ser considerada apenas em último caso, quando as outras formas de tratamento já não oferecem resultados. A técnica substitui a córnea afetada por outra saudável, recebida de um doador, via banco de olhos.

 

Para maiores informações sobre consultas com especialistas, exames e cirurgias, entre em contato com a nossa Central de Relacionamento (11) 3050-3333 / (11) 4126-6464.



H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista Voltar

Newsletter

Receba notícias e dicas sobre o H.Olhos em seu e-mail!