H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Central de Atendimento (11) 3050-3333 - Paulista / (11) 4126-6464 - ABC
H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista
Início » Retinoblastoma: como tratar câncer de olho

Retinoblastoma: como tratar câncer de olho

A A
5 de dezembro de 2018

O retinoblastoma é um tipo de câncer que atinge os olhos. Embora a doença possa aparecer em qualquer idade, a maioria dos casos atingem crianças e pré-adolescentes.

Surge como um tumor maligno (canceroso) na retina, ou seja, no tecido nervoso fino que reveste a parte posterior do olho, responsável por detectar a luz e formar imagens. De forma mais clara, podemos comparar essa região dos olhos ao filme em uma câmera que percebe imagens e as envia ao cérebro para interpretação.

O retinoblastoma ocorre em um único olho ou em ambos, mas se não for tratado pode se espalhar para outras partes do corpo.

Sintomas do retinoblastoma

Como dito anteriormente, o retinoblastoma atinge, inicialmente, os olhos. Por isso, seus primeiros sintomas podem ser notados no globo ocular. Entre os principais:

  • Área branca opaca na pupila (conhecida como leucocoria), causada pelo tumor refletindo a luz. Isso pode ser visto em fotografias com flash;
  • Problemas ao movimentar os olhos, causando estrabismo;
  • Diminuição de alcance da visão em um ou ambos os olhos;
  • Dor nos olhos;
  • Um globo ocular maior do que outro;
  • Vista cansada;
  • Ambliopia (olho preguiçoso);
  • Vermelhidão.

É válido destacar que retinoblastoma é uma doença grave e ao notar os primeiros sinais na criança, procure um oftalmologista.

Estágios do retinoblastoma

Antes de iniciar qualquer tratamento contra a doença, é necessário saber o tamanho e a localização exata do tumor e assim determinar o seu estágio.

Retinoblastoma intraocular

O câncer é encontrado em um ou em ambos os olhos, mas não se estende além do olho para tecidos ao redor da região ou para outras partes do corpo.

Retinoblastoma extraocular

O câncer se estende para outras partes, geralmente por meio do nervo óptico. Pode atacar os tecidos ao redor do olho e demais regiões do corpo.

Retinoblastoma trilateral

É quando o tumor se desenvolve na glândula pineal (na base do cérebro). Nestes casos, deve ser diagnosticado prontamente quando presente, pois requer diferentes abordagens no tratamento.

Retinoblastoma recorrente

Como o próprio nome diz, são casos em que o problema torna-se recorrente, significa que o câncer voltou ou progrediu depois de ter sido tratado. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo.

Causas do retinoblastoma

A doença pode ser hereditária ou não. Contudo, a maioria dos casos que ocorrem em apenas um olho não são hereditários; quando a doença ocorre em ambos os olhos, é sempre hereditária. Por conta da hereditariedade, irmãos e irmãs mais novos de crianças com suspeita de retinoblastoma devem ser examinados o mais cedo possível para descobrir se eles podem ter ou desenvolver a doença.

Mas afinal, como tratar o retinoblastoma?

Existem algumas formas de tratar o retinoblastoma, e na maioria dos casos as chances de cura são grandes. O tipo de tratamento depende da extensão e estágio da doença. As mais comuns são:

  • Crioterapia - tratamento terapêutico com o uso de frio extremo para destruir as células cancerígenas, a partir de gelo, neve carbônica e outros.
  • Fotocoagulação - uso de laser para destruir os vasos sanguíneos que alimentam o tumor ou para aquecer os tumores, tornando os medicamentos quimioterápicos mais eficazes.
  • Terapia de radiação - radiação de alta energia a partir de raios x e outras fontes para destruir células cancerosas e encolher os tumores.
  • Quimioterapia - uso de medicamentos via oral ou por meio de injeções para destruir as células cancerosas. Em crianças, as drogas quimioterápicas também podem ser injetadas diretamente no fluido que envolve o cérebro e a medula espinhal ou na artéria que alimenta o olho (intra-arterial) para tratamento local que tem menos efeitos colaterais sistêmicos.

Em alguns casos, os médicos podem recorrer a enucleação, que é a remoção do globo ocular, mas preservando todo o conteúdo orbital, como músculos, pálpebras e glândula lacrimal.

Ficou alguma dúvida sobre o retinoblastoma? Fale com a gente.

 

 



H.Olhos | Hospital de Olhos Paulista Voltar

Newsletter

Receba notícias e dicas sobre o H.Olhos em seu e-mail!